Fórum Adventista

Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é suprimi-la !
 
InícioInício  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Quem apareceu a Saul em Endor: Samuel ou um demônio?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Eduardo
Global Moderador
Global Moderador


Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/04/2008

MensagemAssunto: Quem apareceu a Saul em Endor: Samuel ou um demônio?   1/8/2008, 4:39 pm

Brother A escreveu:

Pois é, Saul foi na conversa de uma feiticeira, condenada por Deus. Ele interpretou as palavras da feiticeria que, por sua vez, interpretou o demônio que via como tendo a aparência do profeta, mas que não poderia ser o profeta pelas razões apresentadas, que os objetores simplesmente fazem questão de ignorar e não discutem.

Então, paciência, vamos transferir para cá o nosso estudo que demonstra 10 razões por que não poderia ser Samuel literal, daí veja se refuta ponto por ponto, porque só ficar agarrado a essa teimosia irracional, repeteco de expressões tolas de bravatas sem nexo, apegando-se a pressupostos que não podem ser demonstrado, não leva a nada.


VALE A PENA VER DE NOVO

Bem, amigos, novamente temos o velho problema de discussões em que debatedores ignoram coisas já plenamente definidas em discussões anteriores.

Assim, trago da página 16 (que já havia sido transferida da 12, 9 e 4) o material abaixo (que já havia sido transferido da página 1) que pode muito bem definir tudo quanto se discute aqui a respeito.


10 Razões Por Que Samuel Não Poderia Ter Aparecido ao Rei Saul
Analisando o episódio da consulta por Saul a uma feiticeira, narrado em 1 Samuel 28

1o. – Porque a noção de um diálogo entre o falecido profeta Samuel e o rei de Saul parte de uma falsa premissa: de que há uma alma imortal embutida no homem que prevalece à morte. Como não existe comprovação bíblica de que Deus criou o homem dualisticamente—com um corpo material e uma alma imortal (ver Gên. 2:7), tal noção é inteiramente contrária ao teor geral do que as Escrituras ensinam sobre a natureza do homem e sobre o estado o homem na morte.

Obs.: O que a Bíblia ensina sobre os mortos é que não têm consciência alguma do que se passa neste mundo, sendo constantemente comparada a um sono (Ecl. 9:5, 6; Sal. 146:1-4; Dan. 12:2; 1 Tess. 4:13-16). Assim, mesmo ante a hipótese de que o espírito de Samuel tivesse sobrevivido à morte, ele ignoraria inteiramente os acontecimentos terrenos, especialmente do que ocorreu após sua morte, e nem poderia dar conselho algum a Saul.

2o. – Porque Deus havia claramente cortado comunicação com Saul (vs. 6) e seria impensável Ele mudar de opinião e resolver que valeria a pena realizar tal comunicação, sobretudo por meio de uma representante do grupo que Ele ordenou que devia morrer por causa exatamente da atividade de buscar estabelecer esse tipo de comunicação proibida (Lev. 24:27).

Obs.: Se Deus quis comunicar-Se com Saul por aquele meio, Ele terminou TRAINDO ao rei! Como podemos imaginar um Deus traiçoeiro assim?! Pois além de ser volúvel—que determina algo e muda de idéia, passando por cima de Suas próprias regras—ainda castiga com morte o rei justamente por que foi em busca de uma comunicação proibida, mas propiciada por Deus mesmo! Esse Deus dos dualistas certamente não é o Deus das Escrituras (1 Crôn. 10:13 diz: “ . . . morreu Saul por causa da sua infidelidade para com o Senhor, porque não havia guardado a palavra do Senhor; e também porque buscou a adivinhadora para a consultar”).

3o. – Porque Saul encomendou à mulher, “Peço-te que me adivinhes pela necromancia, e me faças subir aquele que eu te disser” (1 Sam. 28:8), após tentar fazer-se ouvir por Deus que não lhe atendia “nem por sonhos, nem por Urim, nem por profetas” (vs. 6).

Obs.: Esse nunca foi o método divino de atender petições de pessoas que O buscam (ver Jó 8:5, 6; Sal. 6:8, 9; 116:1, 2; Dan. 9:20, 21; Mar. 11:24; Col. 4:3).

4o. – Porque Samuel, como profeta de Deus, não iria tomar a iniciativa de atender ao chamado de uma feiticeira, contrariando a ordem divina de que os vivos não busquem comunicar-se com os mortos, nem se submeteria às regras de necromancia, que não iriam jamais interferir com quem estivesse na companhia de Deus. A Bíblia diz que quem buscasse consultar feiticeiros seriam contaminados por eles (Lev. 19:31; Apo. 22:15).

Obs.: Se Samuel atendesse à convocação da feiticeira estaria contribuindo para uma prática condenada por Deus, e pelo próprio contato com ela estaria contaminado, assim nem poderia mais voltar à companhia divina, pois no céu não entra nada que contamine (Apo. 21:27).

5o. – Porque nunca é dito que Saul viu a Samuel, e a informação de tratar-se do profeta procedeu de uma feiticeira, alguém que vivia às escondidas, sob condenação de morrer por praticar algo condenado por Deus (ver 1 Sam. 28:13; Deu. 18:9-11).

6o. – E o que a feiticeira diz ter visto foi um ser sobrenatural, ou seres sobrenaturais—“um deus-elohim”—, termo usado com referência a seres divinos mas também aplicável a falsos deuses (Gên. 35:2; Êxo. 12:12; 20:3).


Obs.: Quem apareceu não foi Samuel e sim um espírito satânico imitando o profeta. O apóstolo Paulo explica que Satanás pode transfigurar-se até em “anjo de luz” (11:14).

7o. – Porque estranhamente o ser que apareceu à feiticeira “sobe de dentro da terra”, quando a Bíblia nunca diz que os seres divinos vêm de tal parte, e sim do alto (ver Gên. 22:11 e 15; 2a. Reis 2:11; Isa. 6:1, 2; 32:15; Luc. 2:13; Mat. 3:16, 17; Apo. 14:6).

8o. – Porque Saul adiciona ao seu erro de consultar uma feiticeira o pecado do juramento em nome de Deus (Ver Mat. 5:34-36; Tia. 5:12), pronunciando o santo divino nome em vão em violação do 3o. mandamento, num ambiente de quem operava contrariando as regras divinas. E ao entender que seria Samuel que apareceu prostrou-se-lhe “em reverência”, noutro ato contrário à Palavra de Deus.

Obs.: Estranhamente também “Samuel” não repreendeu Saul por inclinar-se em adoração a ele, o que mostra significativa diferença com relação a outros personagens bíblicos a que alguns tentaram prestar indevida reverência (ver Atos 10:25, 26; Apo. 19:10).

9o. – Porque a negra predição do suposto Samuel, “amanhã tu e teus filhos estareis comigo” (1 Sam. 28:19) significaria que os profetas de Deus e reis apóstatas compartilham a mesma habitação após a morte, o que é simplesmente um absurdo.

10o. – Porque houve claras predições que não se cumpriram: a) Saul não foi entregue nas mãos dos filisteus (28:19); a profecia, de estilo sibilino, sugeria que Saul viria a ser supliciado pelos filisteus. Mas o fato é que Saul se suicidou (31:4), e veio parar nas mãos dos homens de Jabes-Gileade (31:11-13). Saul apenas passou pelas mãos dos filisteus. Infelizmente o pseudo Samuel não podia prever esse detalhe. b) Não morreram todos os filhos de Saul (28:19), como insinua essa outra profecia obscura. Ficaram vivos pelo menos três de seus filhos: Isbosete (2 Sam. 2:8-10), Armoni e Mefibosete (2 Sam. 21:8).

Comentando I Samuel 28
No Cristianismo

Esta passagem no livro de Samuel é muito polêmica, por isso temos que ressaltar algumas questões interessantes. Primeira: o rei Saul perdera a graça de Deus como podemos ver no livro de primeiro Samuel capítulo 28 verso 6, e também no capítulo 15 verso 23. Saul entrou em pânico porque os filisteus haviam acampado em Suném (onze quilômetros a leste de Megido) e estavam prontos a guerrear contra os israelitas na planície de Jezreel, onde suas armas sofisticadas podiam ser usadas com mais vantagens para esmagar os israelitas. Segundo: a médium declarou ver um vulto subindo da terra, não afirmando ser Samuel. É necessário ler de forma cuidadosa no capítulo 28 verso 13 e 14, que Saul entendeu (e não a Bíblia que disse) que era Samuel, por causa de sua aflição diante da guerra que teria que enfrentar. Muitas vezes diante do desespero o homem busca respostas aonde não deve, criando e imaginando coisas para satisfação do seu próprio ego, pela facilidade que encontra para os seus questionamentos. Deve-se ressaltar que toda dádiva e tudo que é bom vêm de cima e não de baixo, como afirmou a pitonisa. Alguns textos mostram que tudo que é bom vem de cima e não de baixo, leiam com atenção a carta de Tiago capítulo 1 verso 17 que mostra que tudo que é bom vem de cima. No evangelho de João capítulo 3 verso 13 vemos a menção de que Jesus Cristo desceu do céu; no mesmo evangelho capítulo 6 verso 41 menciona o pão que desceu do céu. Agora é necessário citar o que vem de baixo como é tratado pelo Cristianismo. No livro de Isaías capítulo 29 verso 4 faz menção que a voz que vem de baixo é como de um feiticeiro; No livro de Isaías no capítulo 14 verso 12 mostra que a estrela da manhã caiu do céu e era alguém que quis ser mais do que Deus; em Apocalipse capítulo 17 verso 8 menciona a besta que subirá do abismo. Portanto, podemos entender que, aquilo que vem de baixo é ruim e o que vem de cima é bom e verdadeiro. Não se pode conceber que Samuel, enquanto vivo e um homem santo, depois de morto pudesse obedecer a uma mulher abominável para prática proibida por Deus. No livro de Deuteronômio capítulo 18 versos 11 e 12 Deus proibiu a feitiçaria e consulta aos mortos.

"Não se achará entre ti quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; nem encantador, nem necromante, nem mágico, nem quem consulte os mortos; pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao SENHOR; e por estas abominações o SENHOR, teu Deus, os lança de diante de ti."

Ele não poderia concordar que Saul fosse buscar Samuel depois de morto através de uma feiticeira. Deus não muda de opinião, Ele mesmo fala através da carta de Tiago capítulo 1 verso 17. A conseqüência do passo errado de Saul no primeiro livro de I Crônicas capítulo 10 verso 13 mostra que sua morte foi pela transgressão cometida contra ao Senhor e consulta a uma necromante. Com relação às profecias feitas pelo “pseudo Samuel” de acordo com o livro de Deuteronômio capítulo 18 verso 22 devem ser julgadas. E as tais profecias declaradas pelo “pseudo Samuel" no livro de I Samuel capítulo 28 verso 19 não foram cumpridas. Vejamos: contradizendo o falso Samuel, Saul não foi entregue nas mãos dos filisteus, Saul se suicidou, conforme relato no livro de I Samuel capítulo 31 verso 4. Morreriam todos os filhos de Saul, porém morreram apenas três filhos, o que consta no livro de I Crônicas capítulo 10 verso 2, e os demais ficaram vivos, um até se tornou rei de Israel (ver o livro de II Samuel capítulo 2 verso 8), no livro de II Samuel capítulo 21 verso 8 ainda pode ser visto uma filha de Saul viva pós suicídio. Podemos então constatar que tudo que ouve no livro de I Samuel 28 não foi direcionado por Deus, foi um desejo humano em que um demônio foi usado através de uma médium para satisfazer esses desejos, porém desejos não satisfeitos, pois Deus não se deixa escarnecer e não divide sua glória com ninguém.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Quem apareceu a Saul em Endor: Samuel ou um demônio?
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Site EVANGÉLICO confirma: "FOI SAMUEL QUE APARECEU A SAUL!".
» [Saul falou com Samuel?] - Procurando compreender I Samuel 28
» Moises apareceu para Jesus em espirito ou em corpo?
» Quem Ainda Nao Tem CNh?
» De quem é a Cisjordania?

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Fórum Adventista :: Teologia :: Acervo Teológico Adventista :: Textos-
Ir para: