Fórum Adventista

Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é suprimi-la !
 
InícioInício  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Guarda do Sábado e os Serviços "Essenciais"

Ir em baixo 
AutorMensagem
Eduardo
Global Moderador
Global Moderador


Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/04/2008

MensagemAssunto: Guarda do Sábado e os Serviços "Essenciais"   22/7/2008, 5:17 pm

Guarda do Sábado e os Serviços "Essenciais"
Há alguns dias recebi um e-mail de uma irmã nossa que, por sua vez, havia recebido uma mensagem eletrônica com o "desabafo" de um militar Adventista que estava questionando o porquê de não se "liberar" para que profissionais de áreas consideradas essenciais (polícia, bombeiros, saúde, transporte, serviço de distribuição de água, etc.) pudessem trabalhar aos sábados, uma vez que a Bíblia diz, segundo o irmão militar, que devemos "fazer o bem" neste dia.

Eu pesquisei na Internet, e vi que a mensagem original foi colocada em um desses sites de membros revoltosos e críticos, em janeiro de 2002, ou seja, há mais de 6 anos e meio. Parece que ultimamente o tema voltou à tona através de fóruns em um site para Diretores de Clubes de Jovens Adventistas na Internet.

A pedido desta minha irmã e amiga, eu escrevi para ela minha opinião sobre o tema, e resolvi aproveitar o momento para colocar também aqui no Blog, uma vez que são muitos os amigos que o acessam semanalmente, e esta temática (guarda do sábado por alguns profissionais) pode ser proveitosa para muitos outros.

O irmão militar acima citado, "exigia" um posicionamento oficial da Igreja sobre o tema, uma vez que, segundo ele, a liderança da Igreja estava sendo injusta para com os Adventistas que trabalham nestas profissões, não os "liberando" dos plantões aos sábados. O principal argumento do irmão é o fato de que a sociedade não pode prescindir destes serviços essenciais e, portanto, os Adventistas que trabalham neles não estão transgredindo o 4º mandamento, pois atuam em conformidade com o que Jesus falou sobre o "fazer o bem" aos sábados, segundo o irmão.

Como eu já mencionei em uma postagem anterior, 90% das dúvidas que tanto martelam na mente de muitos Adventistas já foram respondidas devida e cabalmente pela Igreja. O problema é que são poucos os que procuram se manter informados.

Sobre esta questão, existe um capítulo inteiro no livro "Declarações da Igreja", publicado há vários anos pela CPB (adquira-o clicando aqui). Muitos outros temas polêmicos são também abordados neste livro: aborto, pesquisas embrionárias, homossexualismo, etc. Vou transcrever abaixo um trecho do livro sobre o tema da guarda do sábado em algumas profissões. Depois eu faço os meus comentários.




Observância do Sábado
Extraído de “Declarações da Igreja” (Tatui, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2005), pág. 207-209.

Trabalho Secular Relacionado com o Sábado
1. Declaração de princípio. A visão bíblica do sábado inclui uma dimensão divina e humana (Mat. 12:7). A partir da perspectiva divina, o sábado convida o crente a renovar seu compromisso com Deus, cessando o trabalho diário para adorar a Deus mais plena e livremente (Êxo. 20:8-11; 31:15-16; Isa. 58:13-14). Na perspectiva humana, o sábado convoca o crente a comemorar o amor criador e redentor de Deus, revelando misericórdia e solicitude para com o próximo (Deut. 5:12-15; Mat. 12:12; Luc. 13:12; João 5:17). O sábado, assim, abrange a cessação do trabalho secular com o propósito de amar a Deus e realizar atos de amor e bondade para com os semelhantes.

2. Trabalho essencial e de emergência. A fim de exaltar a santidade do sábado, os adventistas devem fazer escolhas sábias na questão do emprego, guiados por uma consciência iluminada pelo Espírito Santo. A experiência tem demonstrado que há riscos na escolha de vocações que não permitam a adoração do Criador no sábado, livre de envolvimento com o trabalho secular. Isso significa que evitarão empregos que, embora essenciais para o funcionamento de uma sociedade tecnologicamente avançada, possam oferecer problemas quanto à observância do sábado.
As Escrituras e o Espírito de Profecia são explícitos quanto aos nossos deveres como cristãos para com os semelhantes, mesmo no dia de sábado. No contexto moderno, muitos empregados em ocupações relacionadas com a salvação de vidas e propriedades [por exemplo: médicos, enfermeiros, bombeiros, policiais, socorristas, etc.] são chamados a tratar de emergências. Arranjar trabalho regular de fim de semana que requeira o uso das horas do sábado num emprego lucrativo de atendimento de emergência, ou aceitar trabalho nos fins de semana em ocupações de emergência para aumentar a renda familiar, não se harmoniza com os princípios de observância do sábado apresentados por Cristo. Atender a situações de emergência que envolvam risco de vida e segurança é diferente de ganhar o sustento por envolver-se rotineiramente nessas ocupações durante o sábado, já que freqüentemente são acompanhadas por atividades comerciais, seculares ou rotineiras (ver os comentários de Cristo sobre o resgate de bois ou ovelhas caídas em valetas, e sobre a ajuda de pessoa em necessidade em Mateus 12:11 e Lucas 13:16). Ausentar-se da Casa de Deus nos sábados, negando-se à comunhão com os outros membros, pode exercer um efeito desanimador sobre a vida espiritual.
Muitos empregadores das chamadas áreas de serviços essenciais estão dispostos a fazer concessões aos guardadores do sábado. Quando essas não forem feitas, os membros devem rever cuidadosamente os princípios bíblicos sobre a guarda do sábado e, sob essa luz, examinar o tipo de atividades, ambiente, exigências de trabalho e motivos pessoais, antes de envolver-se no trabalho aos sábados. Devem perguntar ao Senhor como o fez Paulo na estrada de Damasco: “Senhor, que queres que eu faça?”. Quando prevalece essa atitude de fé, somos persuadidos de que o Senhor levará o crente a discernir Sua vontade e dará a força e a sabedoria para segui-la.

3. Decisões morais relativas à observância do sábado. Os privilégios sabáticos são algumas vezes negados ou restringidos por organizações militares, educacionais e políticas, entre outras. Para evitar e/ou reduzir essas situações lamentáveis, devem-se considerar as seguintes sugestões:
a) Um administrador competente da Igreja, de preferência o diretor do Departamento de Deveres Cívicos e Liberdade Religiosa, deve ser designado para manter-se informado sobre as circunstâncias que poderiam minar a liberdade de culto aos sábados. Quando necessário, no caso da possibilidade de alguma legislação ou medida prejudicial aos adventistas, esse líder procurará interceder junto às autoridades responsáveis. Isso pode evitar a promulgação de leis que restrinjam ou neguem os privilégios sabáticos.
b) Os membros adventistas devem ser encorajados a defender pela fé o princípio da guarda do sábado independentemente das circunstâncias, descansando na certeza de que Deus honrará a lealdade a Ele.
c) Os membros da igreja devem oferecer ajuda espiritual, moral e, se necessário, material para outros que estejam passando por problemas por causa do sábado. Esse apoio servirá para fortalecer a dedicação ao Senhor não só da pessoa que está enfrentando os problemas relativos ao sábado, mas da Igreja como um todo.

O trecho acima é parte de um documento que foi votado pela Comissão Executiva da Associação Geral, em 9 de julho de 1990, durante a assembléia da Associação Geral realizada em Indianápolis, Indiana (EUA).

::::::::::::::::::::::::::::::::::

Vemos que as orientações são muito claras, e aqueles que as seguirem terão grande oportunidade de crescimento em sua fé. Oberve que desde 1990 a Igreja já se pronunciou a respeito desta questão, o que mostra que não há nenhum "descaso" ou "negligência" para com os profissionais destas áreas, como tem sido acusado nos sites dos dissidentes equivocados que mencionei acima.

Sabemos que o sábado será a "pedra de toque" da mensagem de Deus para estes últimos dias, exatamente porque este é o ÚNICO mandamento que aponta para Deus como Criador, Redentor e Mantenedor de todo o Universo, constituindo-se o sábado no próprio Selo de Deus, de acordo com o livro do Apocalipse.

"Tão verdadeiramente como foi colocado um sinal sobre as portas das habitações dos hebreus, para proteger o povo contra a ruína geral, será colocado um sinal em cada um dos que pertencem ao povo de Deus. O Senhor declara: "Também lhes dei os Meus sábados, para servirem de sinal entre Mim e eles, para que soubessem que Eu sou o Senhor que os santifica." Ezeq. 20:12." - Eventos Finais, pág. 220-221.

"Os que vencem o mundo, a carne e o diabo, serão os agraciados que receberão o selo do Deus vivo" - Idem, pág. 221.

"Vi que a presente prova do sábado não poderia vir até que a mediação de Jesus no lugar santo terminasse e Ele passasse para dentro do segundo véu; portanto os cristão que dormiram antes que a porta fosse aberta no santíssimo, quando terminou o clamor da meia-noite no sétimo mês, em 1844, e que não haviam guardado o verdadeiro sábado, agora repousam em esperança, pois não tiveram a luz e o teste sobre o sábado que nós agora temos, uma vez que a porta foi aberta. Eu vi que Satanás estava tentando alguns do povo de Deus neste ponto. Sendo que grande número de bons cristãos adormeceram nos triunfos da fé e não guardaram o verdadeiro sábado, eles estavam em dúvida quanto a ser isto um teste para nós agora. ...Satanás está agora usando cada artifício neste tempo de selamento a fim de desviar a mente do povo de Deus da verdade presente e levá-los a vacilar" - Idem, pág. 222.

"O sábado será a pedra de toque da lealdade; pois é o ponto da verdade especialmente controvertido. Quando sobrevier aos homens a prova final, traçar-se-á a linha divisória entre os que servem a Deus e os que não O servem.Ao passo que a observância do sábado espúrio em conformidade com a lei do Estado, contrária ao quarto mandamento, será uma declaração de fidelidade ao poder que se acha em oposição a Deus, é a guarda do verdadeiro sábado, em obediência à lei divina, uma prova de lealdade para com o Criador. Ao passo que uma classe, aceitando o sinal de submissão aos poderes terrestres, recebe o sinal da besta, a outra, preferindo o sinal da obediência à autoridade divina, recebe o selo de Deus" - Idem, pág. 225.

A cada dia que passa nossa lealdade a Deus será provada com mais intensidade. Alguns, conscientes de sua fé, terão que escolher entre suas profissões, suas famílias, seus bens, etc., ou a fidelidade a Deus. É uma escolha difícil, mas terá que ser feita. Veja aqui o exemplo daquele irmão (também militar) que preferiu ser preso a obedecer uma ordem de transgredir o sábado do Senhor.

Não podemos "acalentar" a consciência com o pensamento de que os serviços "essenciais" são tão "essenciais" que liberam os que nele trabalham da guarda do sábado, conforme o ensina a Bíblia. Infelizmente, o próprio povo que hoje já pratica esta fidelidade a Deus no 4º mandamento está, paulatinamente, sendo influenciado por estes movimentos de "flexibilização" na guarda do Dia do Senhor. Em Israel (a nação de Moisés), por exemplo, existem bares que abrem normalmente na sexta-feira à noite (isso foi inclusive tema de uma matéria veiculada recentemente na imprensa brasileira), com o objetivo de atender aos turistas. Algumas congregações Adventistas em um determinado país do mundo, começaram a fazer dois cultos no sábado: um de manhã para os membros que trabalham à tarde, e outro à tarde para os membros que trabalham de manhã. Para você ver que lá os serviços "essenciais" estão também tomando o lugar da obediência a Deus.

Parece algo insensível e radical dizer a um militar, por exemplo, que o melhor seria ele largar a farda e trabalhar em outra atividade, do que deixar de se beneficiar da guarda do sábado, tanto do ponto de vista físico, quanto espiritual. Mas, por exemplo...

O que dizer a um muçulmano que se converte ao Adventismo, mas tem 5 esposas?
O que dizer a um pecuarista que se converte ao Adventismo, mas vive da venda de porcos?

Algumas decisões que temos que tomar, para vivermos a fé que abraçamos, podem ser radicais, mas deverão ser tomadas... mas cedo ou mais tarde.

Como eu costumo dizer, O SÁBADO É UMA QUESTÃO DE FÉ, e por isso apenas quando temos fé é que saberemos o quanto é importante a fidelidade a Deus. É óbvio que não se trata aqui de guardar o sábado PARA se salvar... mas PORQUE sei que já estou salvo... e justificado.


"Fui moço e já, agora, sou velho, porém jamais vi o justo desamparado, nem a sua descendência a mendigar o pão" - Salmo 37:25

http://prgilsonmedeiros.blogspot.com/2008/07/guarda-do-sbado-e-os-servios-essenciais.html
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Guarda do Sábado e os Serviços "Essenciais"
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Fórum Adventista :: Teologia :: Acervo Teológico Adventista :: Textos-
Ir para: